Guilherme Monteiro posando com Piapara.

Pensem num peixe manhoso, de boca mole e pequena, mas com a força de um gigante das águas, quase um Incrível Hulk das águas do Prata. Essa é a Piapara, conhecida no sul do Brasil como Piava ou, nos países vizinhos, como Boga.

Como fisgar a Piapara

 

As Piaparas são abundantes na grande bacia do Prata, muito conhecidas nos rios Paraná e Uruguai, e podem atingir ótimos tamanhos, chegando a pesar cerca de 7 a 8 quilos.

Esse é um peixe acostumado a águas rápidas e um dos alvos preferidos dos grandes dourados e surubins, capazes de proporcionar grandes brigas com um grau de dificuldade imenso para os pescadores que não conhecem a espécie.

O tamanho do anzol é pouco maior que os utilizados para pescar lambaris.

A boca mole faz com que a tralha para sua captura tenha de ser necessariamente mais leve, com linha bem fina e fricção quase aberta.

Guilherme Monteiro posando com Piapara.

Além disso, a forma de comer também é extremamente sutil, e a sensibilidade para poder fisgá-las é fundamental para obter êxito. É um peixe de ceva e as iscas principais para sua captura são: milho cozido podre, minhoca, pequenos crustáceos, filézinhos de peixe, miúdos, entre outras.

Lembre-se: precisamos obter as informações de cada local para acharmos a isca mais apropriada para a espécie. Isso vale para fisgar qualquer espécie que seja.

O certo é que quem pesca as potentes Piaparas se apaixona logo de cara, pois a força do bicho impressiona até os mais experientes pescadores.

É preciso técnica e paciência para poder fisgá-las, um desafio que vale a pena.

Tire um tempo para conhecer estas brigonas, você certamente não irá se arrepender, quem as conhece jamais deixa de pescá-las.

 

Texto: Guilherme Monteiro (Colaborador da Revista Pesca & Companhia e Pro Team Pesca Pinheiros)

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *